domingo, 17 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/FAÇA EM SECRETO, SEM TOCAR TROMBETAS!

FAÇA EM SECRETO, SEM TOCAR TROMBETAS!

Mas quando você der esmola, que a sua mão esquerda não saiba o que está fazendo a direita, de forma que você preste a sua ajuda em segredo. E seu Pai, que vê o que é feito em segredo, o recompensará. Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o recompensará. Ao jejuar, ponha óleo sobre a cabeça e lave o rosto, para que não pareça aos outros que você está jejuando, mas apenas a seu Pai, que vê no secreto. E seu Pai, que vê no secreto, o recompensará". Mateus 6.3,4, 6, 17,18.
                                                                                    

Em tempos de alta exposição nas mídias tudo parece motivo de autopromoção! Nada se faz hoje sem Selfies ou publicação nas redes sociais. Contudo, o texto aqui traz uma tríplice advertência da parte do nosso Senhor para três ações que devem permanecer absolutamente em secreto, apenas Ele deve vê-las em secreto! E a advertência não perdeu a validade mesmo a despeito das modernidades midiáticas. Trata-se do acudir ao necessitado, da oração pessoal e do jejum ou tempo de consagração. O Senhor adverte que a mão esquerda não deve ver o que faz a direita em termos de caridade, assim prestemos a nossa ajuda em segredo!

E quanto à oração pessoal deve ser feita no interior do nosso quarto, onde poderemos derramar o nosso coração e nos rasgar sem reservas diante do Senhor. Quando jejuarmos ou separarmos um tempo para consagração, do mesmo modo, façamos em secreto. Não precisamos dizer isso a ninguém! As pessoas hoje postam cada passo dado nas redes sociais: O que comem e bebem, o que compram, o que possuem, a maneira como se relacionam, as imagens pessoais  trocadas a cada dia nos perfis. Há uma necessidade quase compulsiva de se expor. E quando a questão diz respeito às coisas da religiosidade, nem se fala!

Talvez o ministério mais difícil de ser exercido seja o Anonimato das ações! O Senhor nos chama a um tempo de recolhimento e contemplação. Nesses momentos de leitura e meditação na santa palavra recebemos direções e insights de Deus preciosos para a nossa edificação. Nossos olhos recebem a luz do céu para compreendermos verdades eternas que até então estavam nubladas para nós. Invistamos tempo no anonimato com Deus. Empreendamos esforços para combater as exposições desnecessárias nas redes sociais. Aproveitemos esses espaços preciosos para anunciar o Cristo. E evitemos tocar trombetas diante das nossas próprias ações. Basta que o Senhor as veja!

Há uma urgência em se pregar a Palavra. Jesus está às portas, e hoje os recursos para que a palavra chegue aos confins da terra são os mais diversos. Os lugares mais escondidos da terra onde é impossível o acesso ao homem, o próprio Senhor se encarregará de alcançar. Mas aquilo que podemos e devemos fazer ele não fará. Deixemos, pois as exposições desnecessárias e apresentemos o Cristo, sobretudo com um viver que o glorifique! Assim, ame o próximo em secreto, ore em secreto, se consagre em secreto. Intimidade com Deus não se revela, se vive! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sábado, 16 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/APENAS MANDA SENHOR, COM UMA PALAVRA!

APENAS MANDA SENHOR, COM UMA PALAVRA! 

Mas o centurião respondeu: Senhor, não sou digno de que entres em minha casa; mas apenas manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado”! Mateus 8.8.

                                                                                          


Poucas vezes o Senhor Jesus se admirou de algo e a situação descrita aqui foi uma delas. Um centurião romano vem procurá-lo para pedir ajuda para curar um seu criado que estava gravemente enfermo. Aquele comandante de cem soldados certamente já ouvira falar sobre o Senhor Jesus e os milagres que ele operava naqueles dias de cidade em cidade. Aquele homem não fazia parte do povo da aliança. Era um estrangeiro, contudo possuía uma visão e percepção muito mais aguçadas que aqueles que os descendentes de Abraão. Era alguém que entendia de autoridade.

Aquele homem conseguiu enxergar o tamanho da autoridade do Cristo e não se reconhece digno de recebê-lo em sua casa. E quando Jesus ao receber o pedido se apressa em ir ter com aquele enfermo, o homem logo retruca: “Senhor, não sou digno de que entres em minha casa; mas apenas manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado”! Aquilo surpreendeu Jesus e ele exclama: “E maravilhou-se Jesus, ouvindo isto, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que nem mesmo em Israel encontrei tanta fé”! Aquele centurião era um homem de autoridade e sabia que quando dava uma ordem aos seus subordinados eles se apressavam em obedecê-la. Ele entende a autoridade Suprema de Jesus sobre tudo e todos.

E quanto a nós, será que alcançamos ou mensuramos o tamanho da autoridade suprema do Cristo? Ou será que as nossas inquietações diante das adversidades têm apequenado ainda mais o tamanho da nossa fé? Creio que esta é uma triste realidade. O gigante da incredulidade tem a cada dia se robustecido e tentado nos assombrar e tragar. Temos nos paralisado diante das demandas como se o Senhor tivesse perdido a capacidade de nos socorrer. Incredulidade e medo andam juntos formando uma dobradinha infernal que alem de assombrar, paralisa.

Jesus depois da atitude cheia de confiança daquele centurião afirmou: “Vai-te, e seja feito conforme a tua fé. E, naquela mesma hora, o servo foi curado”! O que Jesus faria conforme a nossa fé? Como a nossa fé tem oscilado nos últimos tempos! Os ventos têm soprado contrários, e tentado a todo o custo derrubar a nossa casa espiritual! Resta saber de que material é feito nossos alicerces. Se sobre a areia ou sobre a Rocha Eterna que é o próprio Cristo! Que possamos nos mirar na atitude daquele centurião e rogar ao Senhor que ele apenas mande com uma palavra e toda a angustia que temos sentido se dissipará para a glória excelsa do seu nome! O autor de Provérbios afirma: “Aquilo que o perverso teme sobrevirá a ele, mas o desejo dos justos será concedido”. Estamos todos carecidos de um milagre específico, mas o maior deles é: “Senhor, aumenta a nossa fé”! A ordem do Senhor já foi dada, tão somente confiemos! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/É PELOS FRUTOS, NÃO PELOS DONS!

É PELOS FRUTOS, NÃO PELOS DONS!

Assim, pelos seus frutos vocês os reconhecerão”! Mateus 7.20.

                                                                                           


Já no final do Sermão do Monte Jesus dá instrução aos seus ouvintes quanto aos falsos profetas que têm proliferado mundo a fora desde tempos ancestrais. É importante não se deixar enganar por esses lobos travestidos de cordeiros, para enganar se possível os eleitos de Deus. Quantas almas têm sido caçadas e aprisionadas por esses embusteiros. Eles usam pretensos dons para atrair e ludibriar. Ora, dons, são ferramentas de trabalho para a edificação e crescimento da igreja, não alicerce. São recursos da graça para auxílio dos irmãos, mas não são bandeiras de santidade ou credencial de crente fiel! O amor é a maior das credenciais!

O contexto aqui é muito claro. Diz Jesus: “Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores. Vocês os reconhecerão por seus frutos. Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas? Semelhantemente, toda árvore boa dá frutos bons, mas a árvore ruim dá frutos ruins. A árvore boa não pode dar frutos ruins, nem a árvore ruim pode dar frutos bons”. De que fruto o Senhor está efetivamente falando neste contexto?  Convoquemos o apóstolo Paulo para que ele nos explique mais pormenorizadamente. Falando aos Gálatas ele diz: “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei”.

Assim, antes de se deixar persuadir pelos dons, procure os vários aspectos do Fruto do Espírito Santo mencionados acima, especialmente o amor que é o vínculo da perfeição. Aqui vale também salientar que unção é totalmente diferente de persuasão, muitos são persuasivos, mas completamente desprovidos da unção de Deus, que é o seu poder em ação, sobretudo, para gerar Frutos benditos e genuína transformação. Não nos deixemos enganar. Jesus tem vindo buscar fruto em sua Figueira, mas não tem encontrado frutos, mas apenas folhas. E quando isso acontece, ele faz a figueira secar até a raiz.

Temos pensado muito em tudo que temos visto e ouvido nos últimos tempos! São queixas e demandas diversas. Agonias indizíveis e muitos têm ido às comunidades não pelo Cristo, mas para encontrar alívio desses pesares e acabam caindo nas mãos inescrupulosas dos falsos profetas sempre de prontidão para caçar as almas necessitadas. Essas têm sido alvo perfeito das ações malignas. Contudo, O Senhor alerta: “Nem todo aquele que diz Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu pai que está nos Céus”! Os embusteiros têm feito muitos sinais e prodígios, têm apascentado o próprio ventre. E naquele dia quando forem confrontados pelo Senhor dirão: “Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas”? Ao que Jesus responderá de pronto: “Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade”. Estejamos de prontidão! E não nos esqueçamos: Os enviados do Senhor serão reconhecidos pelos frutos, não pelos dons! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/OLHOS BONS... OLHOS MAUS!

OLHOS BONS... OLHOS MAUS!

Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz. Mas se os seus olhos forem maus, todo o seu corpo será cheio de trevas. Portanto, se a luz que está dentro de você são trevas, que tremendas trevas são”! Mateus 6.22,23.

                                                                                             


O Texto afirma que os olhos são a lâmpada ou candeia do corpo. Eles se encarregam de trazer para nós a visão do mundo exterior. Através da dádiva da visão podemos contemplar toda beleza que está à nossa volta e também aquilo que nem é tão belo assim! Sem a visão certamente estaríamos mergulhados em mundo insuportável de escuridão. Contudo, o texto vai alem dessa visão daquilo que é meramente material e palpável e nos remete ao mundo espiritual.

Parece que há uma miopia neste sentido, as pessoas enxergam apenas aquilo que está perto e não conseguem ter uma visão ampla. Somos como aqueles cavalos de carroça com seus “tapa-olhos” laterais impedindo-lhe uma visão completa. São poucos, no entanto, os que enxergam aquilo que o Senhor tem tão generosamente oferecido. Aquele cujos olhos são bons enxergará, sobretudo, a graça do Senhor ao alcançar o pior pecador concedendo-lhe a dádiva gratuita da salvação. A graça tem sido ao longo da história escândalo para os judeus e loucura para os gentios viciados e apegados à meritocracia.

Parece que a população de olhos maus tem aumentado ao longo da história, especialmente nos dias atuais. Tudo atrai com facilidade o olho mau em sua cegueira para as coisas de Deus: Credos, doutrinas, liturgias destituídas de conteúdo, barganhas com divindades, sacrifícios de tolos com o propósito de ter cada vez mais, o dinheiro acumulado, que tem se tornado o deus de muitos. Ninguém pode servir a dois senhores: Ao Senhor Deus e às riquezas. Somos instados a acumular tesouros nos céus onde a traça e a ferrugem não destroem, nem os ladrões roubam. Como os olhos maus têm sido mortalmente atraídos pelas coisas temporais!

Os olhos bons fazem o corpo do seu portador ser todo luminoso e nele não há treva alguma. Ele consegue receber a luz do céu, aliás, seus olhos são atraídos por ela. Aquele que possui esses olhos não se apressa em julgar e condenar. Consegue ir alem da visão física. Consegue ler nas entrelinhas das histórias. Percebe aquilo que não é dito com palavras. Esses olhos conseguem enxergar no olhar do outro aquilo que não é contado. E quanto a nós, como são os nossos olhos? Olhos bons ou olhos maus destituídos de luz e mergulhados nas trevas? Como diz a letra do velho hino: “Deixa a luz do céu entrar, deixa o sol em ti nascer”! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malt/TUDO QUE FAZEMOS VOLTA PARA NÓS!

TUDO QUE FAZEMOS VOLTA PARA NÓS!

Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas”. Mateus 7.12.
                                                                                             

Como a convivência e os relacionamentos seriam mais fáceis se observássemos e praticássemos essa regra aparentemente simples! Digo aparentemente, pois o egoísmo das pessoas as tem impedido de enxergar essa orientação do Senhor! Todos querem o melhor para si, nunca ou quase nunca se pensa que as atitudes pessoais podem transformar ou transtornar vidas. Podem mudar histórias. Isso tanto no sentido positivo quanto negativo. Minha mãe em sua sabedoria conferida pelos anos diria: “O que eu não quero pra mim, não dou aos outros”! Contudo, em tempos de descartes, fazemos o contrário, o que não queremos para nós, tragicamente descartamos  para os outros!

Qual o pronome pessoal mais usado? EU, sem dúvidas! As pessoas estão sempre procurando satisfazer seus interesses, suas inclinações e desejos. O semelhante parece que tem se tornado invisível em tempos de Egos obesos. Hoje é tão comum as cirurgias de redução de estômago, por saúde ou estética. Que tal se nós fizéssemos uma redução de EGO? E se colocássemos Jesus no Centro dos nossos egos obesos e deixássemos que ele ali, decidisse ou desse a medida exata do que devemos “ingerir”, para satisfazer a necessidade, não os desejos carnais? Que o Senhor cresça em nós até ocupar todos os nossos espaços!

O versículo citado, não sem razão, é chamado muito apropriadamente de Regra de Ouro, pelos estudiosos das Escrituras. Aqui, o Senhor prioriza o amor caridade, ou ágape. A caridade não apenas de doar coisas, mas de doar-se a si mesmo. Parece que só se tem enxergado o próprio umbigo. E quando se consegue ler um versículo como o citado no inicio, ele é visto de modo que os outros o apliquem a nós, nunca nós aos outros. Complicada essa percepção! O apóstolo Paulo trazendo mais luz ao assunto diz aos Filipenses: “Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros”.

A Bíblia Sagrada está cheia de advertências e conselhos em relação ao nosso próximo. Jesus quando conta a parábola do chamado Bom Samaritano. Ele adverte em relação àqueles que têm visto o sofrimento do outro e nada fazem à respeito. Por outro lado louva a atitude do samaritano em relação àquele homem que caíra em mãos de salteadores. Meu pai costumava dizer: “Um amigo bom ajuda o outro, mas têm aqueles que querem ser o outro a vida toda”! Ainda citando o apóstolo falando, desta vez falando aos efésios ele diz: “Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja”. Se não quer ser machucado, não machuque o outro. Se não quer ser traído, não traia ou engane o outro. Se teve ajuda quando precisou de ajuda, ajude os que precisam de ajuda ao seu redor. Se não gosta que gritem com você, não grite com os outros e assim por diante. Toda ação gera reação! É a Lei da Semeadura e Colheita mencionada pelo apóstolo Paulo falando aos Gálatas! Nossas atitudes são bumerangues, elas sempre voltam para nós. A "vida é um eco implacável", tudo volta para nós! Portanto, cuidado com o que fazemos aos outros. A lei do retorno também é implacável e nunca erra o nosso endereço. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/TUDO QUE ELE FAZ TEM PROPÓSITO!

TUDO QUE ELE FAZ TEM PROPÓSITO!

Assim, levantou-se da mesa, tirou sua capa e colocou uma toalha em volta da cintura. Depois disso, derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos seus discípulos, enxugando-os com a toalha que estava em sua cintura. Chegou-se a Simão Pedro, que lhe disse: "Senhor, vais lavar os meus pés”? Respondeu Jesus: "Você não compreende agora o que estou lhe fazendo; mais tarde, porém, entenderá". Disse Pedro: "Não; nunca lavarás os meus pés". Jesus respondeu: "Se eu não os lavar, você não terá parte comigo". João 13.4-8.

                                                                                             


A cerimônia do Lava Pés tem muito a nos ensinar! Enquanto de um lado está a humildade de Jesus em realizar tarefa concedia ao menor dos servos, que era lavar os pés dos que vinham da rua, do outro está a falsa humildade de Pedro ao recusar tal ato vindo de Jesus. Pedro ficou “constrangido” e logo vociferou bem ao seu estilo: "Senhor, vais lavar os meus pés”? e ainda foi categórico: "Não; nunca lavarás os meus pés". Ao que Jesus respondeu: respondeu: "Se eu não os lavar, você não terá parte comigo". O Senhor também mostra aqui que só a Água Viva que é ele próprio limpa a sujeira adquirida por onde andamos. Tudo que o Senhor fez e faz tem um propósito definido. Nada é aleatório! Tudo visa a nossa edificação e crescimento!

Se atentarmos para o que nos sucede tanto as coisas boas, quanto aquelas nem tanto, tudo é recurso didático de Deus. Fico imaginando como temos dificuldade de receber as dádivas vindas do Senhor. Sim, porque “toda boa dádiva e todo dom perfeito vem dele, do Pai das Luzes”, como diz Tiago em sua epístola. Nada vem de homens, tudo vem de Deus. Quantas pessoas são usadas pelo Senhor para nos trazer essas boas dádivas. São carinhos e mimos do céu. As coisas pequenas que recebemos nos preparam para as grandes dádivas. Se não aprendermos a recebê-las, jamais receberemos as grandes dádivas reservadas para nós desde tempos eternos.

Lá na frente compreenderemos aquilo que Jesus tem feito tanto sobrenaturalmente por meio de anjos, quanto usando o natural para nos abençoar. O Senhor disse a Pedro: "Você não compreende agora o que estou lhe fazendo; mais tarde, porém, entenderá". Tem coisas que só compreenderemos do outro lado da eternidade, outras, no entanto, são para o aqui e o agora. São para treinamento. O Senhor é Deus didático. Tudo em nossa vida faz parte de um sofisticado treinamento para o que ele quer realizar em nós e através de nós. Nesses dias falei sobre isso com uma amada irmã.

Enquanto estivermos deste lado de cá da eternidade o treinamento continua em tudo por tudo. Mas algo que necessitamos aprender com urgência é receber as dádivas sem constrangimento. Muitos pensam que é fácil, sobretudo, quem esteve muito tempo como instrumento de doação. As ações que praticamos são bumerangues, um dia elas voltam para nós. Sejam boas ou más. Elas sempre voltam! Pensemos sobre isso e aprendamos a receber as pequenas dádivas. Deixemos que ele lave os nossos pés e ele tem feito isso das mais diferentes maneiras. Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/E A SABEDORIA CONTINUA CLAMANDO QUEM A OUVIRÁ?

E A SABEDORIA CONTINUA CLAMANDO QUEM A OUVIRÁ?

A sabedoria está clamando, o discernimento ergue a sua voz; nos lugares altos, junto ao caminho, nos cruzamentos ela se coloca; ao lado das portas, à entrada da cidade, portas adentro, ela clama em alta voz: "A vocês, homens, eu clamo; a todos levanto a minha voz. Vocês, inexperientes, adquiram a prudência; e vocês, tolos, tenham bom senso. Pois todo aquele que me encontra, encontra a vida e recebe o favor do Senhor. Mas aquele que de mim se afasta, a si mesmo se agride; todos os que me odeiam amam a morte". Provérbios 8.1-5, 35,36.
                                                                                                


Confesso que está difícil ouvir os noticiários da TV e das diversas mídias. Ao ouvirmos as noticias temos a nítida impressão que o mundo enlouqueceu literalmente. Há uma crise instaurada sem precedentes. Crise de ética, de valores, de moral, de bom senso, de costumes, de equilíbrio. Hoje tudo tende ao exagero com o propósito de chocar, de agredir, de causar perplexidade no mais alto grau. Imagino que a presente geração pagará um preço altíssimo por essa postura irresponsável. Nesses dias a internet assistiu chocada a alguns desses casos. Uma moça se dizendo professora de educação sexual em uma de suas aulas, mostrando aos seus jovens alunos secundaristas, gravado em vídeo uma “performance” que remetia à prática. Eram jovens que se divertiam com a atuação da tal professora. Pais que colocaram seu bebê recém nascido no forno de microondas. Sem contar com as afrontas racistas contra uma criança. E tantas outras coisas, a lista é longa!

Hoje se ouve e se vê de tudo, menos aquilo que realmente pode edificar, instruir e agregar verdadeiro conhecimento. As redes sociais têm seu lado bendito e seu lado maldito, que na maioria das vezes tem prevalecido. Quantos escândalos! Quantas vilezas! Quanta corrupção! Quanta promiscuidade! Quanta violência! Quanta falta de sabedoria! Aliás, a loucura há muito tomou o lugar da lucidez e do bom senso! Na verdade, nem sei se realmente poderia chamar de loucura, o que temos visto. Será que perversidade não seria a palavra mais adequada?

Nesses dias temos feito releituras consecutivas do Livro Sapiencial de Provérbios e ali encontramos uma chamada contínua da Sabedoria para que ouçamos a sua voz! É verdade que somos emboscados pelas nossas inclinações o tempo inteiro e isso demanda de nós oração e vigilância o tempo inteiro. Parece-me que têm faltado ambas. O apóstolo Paulo falando aos Filipenses traz um sério alerta em relação àquilo que temos armazenado em nossas mentes: “Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas”. Pensamentos geram ações!

Os versículos citados de provérbios dizem que a Sabedoria está clamando e o Discernimento ergue a sua voz nos lugares mais altos da terra e em seu brado ela diz: “A vocês, homens, eu clamo; a todos levanto a minha voz. Vocês, inexperientes, adquiram a prudência; e vocês, tolos, tenham bom senso. Pois todo aquele que me encontra, encontra a vida e recebe o favor do Senhor. Mas aquele que de mim se afasta, a si mesmo se agride; todos os que me odeiam amam a morte". Parece que há uma cegueira e uma surdez espiritual sem precedentes nos amantes da morte. As pessoas ouvem apenas aquilo que lhes convém. Elas acatam apenas aquilo que vem ao encontro de suas inclinações! Deus não aplica severidade antes de exaustivamente investir na misericórdia! Quem deixa de ouvir achará a morte! E a Sabedoria continua clamando, quem a ouvirá? Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

domingo, 10 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/SEJAMOS CANAIS DE CONSOLAÇÃO!

SEJAMOS CANAIS DE CONSOLAÇÃO!

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações”. 2 Coríntios 1.3,4.
                                                                                             


Temos falado muitas vezes neste espaço sobre a metodologia de ensino do Senhor. Ele não nos coloca em uma aula teórica sem providenciar um ensino prático e experiencial daquilo que estamos aprendendo. Ensina-nos para ensinarmos. Reconcilia-nos para nos transformarmos em instrumentos de reconciliação. Consola-nos para que possamos consolar com a mesma consolação com a qual fomos consolados por ele. O aprendizado é contínuo enquanto estivermos vivos do lado de cá da eternidade!

O apóstolo Paulo neste texto bem conhecido endereçado aos Coríntios e a  todos os crentes de todas as épocas fala dessa consolação didática de Deus! Somos chamados a falar experiencialmente, só assim falamos como quem tem autoridade! O povo de Deus tem sofrido grandes embates. Tem passado por grandes estreitos e profundos vales áridos. E essas travessias, embora sejam vias dolorosas nos preparam para entender a dor do outro e sermos canais de consolação da parte do nosso Pai Celestial.

O apóstolo começa seu texto trazendo uma palavra de louvor e adoração ao Senhor: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação”. O nosso Deus é o Pai das Misericórdias e o Deus de toda Consolação. Ele se compadece de nós, ele providencia escapes, ele renova as nossas forças e nos surpreende em seus agires. Não há situação difícil que não possa ser revertida por ele. De suas santas e misericordiosas mãos emanam todas as possibilidades. Até aquelas inimagináveis!

Ele não nos consola apenas em algumas tribulações, mas “em todas”. Paulo na seqüência afirma: “Pois assim como os sofrimentos de Cristo transbordam sobre nós, também por meio de Cristo transborda a nossa consolação”. Os sofrimentos de Cristo transbordam sobre nós. Como entender essa afirmação? Todo verdadeiro cristão experimentará numa certa medida algum sofrimento transbordante daquela cruz. Ao mesmo tempo que através desses sofrimentos experimentaremos a consolação que vem do céu em nosso favor. Sejamos canais de consolação aos abatidos de espírito. “Choremos com os que choram”! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


sábado, 9 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/A GRAÇA É MAIS EXIGENTE QUE A LEI!

A GRAÇA É MAIS EXIGENTE QUE A LEI!

Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus". Mateus 5.20.

                                                                                             


Muitos têm tripudiado da Graça de Deus, calcado-a aos pés. Esses acham que a divina Graça seja permissiva por ser o favor imerecido de Deus. Esses acham que Ela faculta àqueles que a recebem gratuitamente agir da maneira como desejam. Trágico engano! O próprio Senhor diz: “A quem muito foi dado, muito lhe será cobrado”! Graça de Deus seria motivo mais que suficiente para andarmos eternamente de joelhos e prostrados diante do Eterno em gratidão por tão grande dádiva! Contudo, não me parece que haja esse entendimento em nosso meio. Vivemos em um mundo de meritocracia, as pessoas se vangloriam dos seus feitos para merecer isso ou aquilo. Quando na verdade, tudo vem dele e é para a glória excelsa dele e ponto final! Nada a acrescentar!

O versículo citado está no contexto geral do Sermão do Monte, mais especificamente quando Jesus fala que não veio revogar a lei, mas cumpri-la. O versículo citado no inicio aponta a Graça como mais exigente que a Lei, pois ela é dada ao pior pecador sem que haja nele obra nenhuma meritória. A exigência da graça é interna, a da lei é externa. O que exterior é fácil fingir, já o que é interior, impossível. Somos eternos devedores da Graça. A graça não se conforma nem se convence com as nossas exterioridades aparentemente piedosas. À semelhança dos fariseus do passado desfilamos o rosário das nossas práticas religiosas, que até pode impressionar homens, mas não ao Senhor!

Tratar irresponsavelmente a Graça de Deus é chamar para si duro julgamento.  A graça deseja que possamos ir alem da justiça dos fariseus e mestres da lei do passado. A graça exige transformação interna genuína. Mais que isso, exige regeneração do espírito morto, Novo nascimento. Os fariseus religiosos do passado, técnicos em Deus foram chamados de sepulcros caiados, pois, externamente tinham uma postura imaculada, mas interiormente guardavam podridão. A Graça vai ao cerne do coração do homem, transforma-o na essência, recriando-o e regenerando-o. Essa nova criatura vai refletir a imagem do Cristo. Aqui não cabe fingimento ou teatro!

O versículo citado diz de maneira categórica: “Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus". Dura essa palavra, quem a pode ouvir? Muitos têm calcado aos pés o Espírito da Graça, usando a liberdade em Cristo como licença para pecar, como os libertinos dos dias de Calvino. Paulo apóstolo nos adverte que não devemos usar da liberdade para dar lugar à carne! A graça nos fez livre das amarras da velha vida para que possamos dizer não ao pecado e sim para Deus por meio do seu Cristo! Embora não estejamos livres da presença do pecado, já nos livramos da sua penalidade e do seu poder sobre nós. Os que pela Graça foram alcançados também foram salvos e fortalecidos. Podemos dizer não aos nossos apetites e inclinações. Assim, fomos habilitados a ir alem da prática religiosa exterior dos religiosos do passado! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/É PRECISO FORÇA E CORAGEM PARA ESPERAR!

É PRECISO FORÇA E CORAGEM PARA ESPERAR!

Sejam fortes e corajosos, todos vocês que esperam no Senhor”! Salmos 31.24.

                                                                                          


Quando o Senhor tem um propósito em nossa vida, especialmente em relação a sua obra, ele vai nos moldar. E a primeira lição que vamos aprender é a lição da confiança absoluta nele. E sabe qual a ferramenta usada por ele para moldar essa confiança? Isso mesmo, o doloroso tempo de espera pelos seus agires! E ele seguramente, como diz John Piper, “não trabalha segundo o cronograma de seres humanos apressados”! Por isso, o salmista já discernindo essa verdade escreve as palavras do versículo citado no início. Sim, precisamos de força e coragem para conseguir esperar sem desesperar! Fácil? De jeito nenhum, acho mesmo que do ponto de vista humano é impossível, visto que queremos tudo para ontem. Contudo, é sobrenaturalmente possível se deixarmos o Espírito guiar nossos atos!

Este salmo mescla lamentos e louvor ao Senhor e termina fazendo a recomendação do versículo citado no inicio. Tenho lidado com muitas esperas e elas todas do ponto de vista humano são desesperadoras, pois a nossa natureza ansiosa e apressada não consegue se conter por si mesma. Até tentamos, mas sem sucesso! Precisamos depender da ajuda do Alto para conseguir fazer sossegar a nossa alma exigente e apressada. Outro dia li uma frase que dizia assim: “Não espere esperando, espere vivendo”! Desconheço ao certo a autoria, dizem ser de alguém chamado Enrique Agiida. E este seguramente deve ser de algum “Pedro pedreiro”, mestre em esperas.

Hoje me ocorreu algo, acerca desses longos processos de esperas enquanto pensava na tal frase e na ordenança do salmista.  Davi se tornou um desses mestres em longas esperas pelos agires de Deus.  Contudo, algo chama a nossa atenção, o salmista assim como outros servos do Senhor, não esperou esperando. Esperou vivendo seu chamado: lutando suas batalhas diárias, desbaratando exércitos hostis, levando libertações a muitos, louvando e glorificando o Senhor, escrevendo seus belos salmos experienciais. E ainda inventou muitos instrumentos musicais. Ele registrou para a posteridade sua espera produtiva! Qual é o seu chamado? Espere vivendo esse chamado! É que tenho tentado fazer!

Espera em Deus não é inatividade! O apóstolo Paulo esperou em Deus vivendo o seu chamado: estudando as Escrituras, escrevendo cartas, ensinando, orando, ajudando os necessitados, levando a mensagem do evangelho à terras distantes. As nossas atribuições não podem esperar. Esperar esperando causa desespero e depressões severas! Quem se limita a esperar esperando afunda em autocomiseração e vitimismo! O Senhor nos ordena que nos levantemos agora mesmo de nossas esperas improdutivas com a força e a coragem enviadas por ele e sigamos esperando sim, mas  produzindo para a sua excelsa glória! E “o Senhor trabalha para aqueles que nele esperam”! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/NOSSO MAIOR ADVERSÁRIO É VENCIDO NO CAMINHO!

NOSSO MAIOR ADVERSÁRIO É VENCIDO NO CAMINHO!

                                                                                           

Entre em acordo depressa com seu adversário que pretende levá-lo ao tribunal. Faça isso enquanto ainda estiver com ele a caminho, pois, caso contrário, ele poderá entregá-lo ao juiz, e o juiz ao guarda, e você poderá ser jogado na prisão”. Mateus 5.25.

                                                                                               


Esta semana uma amada irmã me trouxe este versículo que havia emergido do seu coração, como direção do Senhor para a sua vida. Ela leu e releu e nada lhe vinha à mente em relação a ele. Comecei, então, à semelhança de Moisés a “bater nessa Rocha até que dele brotasse água e dessedentasse” como disse Calvino ao se debruçar nos textos bíblicos. Ler a Palavra de Deus demanda tempo e oração paciente até que consigamos compreender aquilo que o Espírito deseja ministrar. A Palavra já nos foi revelada, mas precisamos deixar que a Luz do céu entre em nossos olhos para que compreendamos a revelação.

O versículo citado está no contexto do Sermão do Monte, quando Jesus fala acerca do homicídio e faz um contraste entre o que foi dito aos antigos e o que é dito por ele na Nova Aliança. Ao olharmos atentamente para o texto à luz do Espírito Santo, perceberemos que o Senhor nos instrui sobre a religiosidade de aparência dos dias antigos e o verdadeiro relacionamento com ele. Este último produz verdadeira transformação enquanto a religiosidade é apenas algo exterior. As nossas palavras não convencem o Senhor, são os atos concretos que testificam das mudanças interiores.

Nos versículos anteriores, Jesus vai alem daquilo que fora dito aos antigos em suas instruções .  Não só quem mata, mas quem se ira sem motivo, quem profere insulto ao irmão, quem lhe chama de tolo está sujeito ao inferno de fogo. Deus do céu, que coisa séria! E mais, se ao fazermos a nossa oferta nos lembrarmos que o nosso irmão tem algo contra nós, devemos deixar perante o altar a nossa a oferta e ir nos reconciliar com o nosso irmão, e, só então, voltando devemos fazer a oferta. Notemos que aqui ele não fala do fato de nós termos algo contra o irmão, mas dele ter contra nós! Ou seja, a exigência é ainda maior! Para isso precisamos vencer o orgulho e a nossa carne resistirá! Há três adversários que se opõem a nós: O Mundo, o diabo e a carne. O mundo oferece, o diabo estimula, mas é a carne que clama pelo pecado! Assim, o pior dos três é a carne, pois é ela quem dá o mote para a ação dos outros dois! Eles formam uma trindade maligna, trabalham em unidade e se alimentam com o que lhes oferecemos!

Chegamos finalmente no versículo mencionado no inicio. Ele manda que entremos em acordo com o nosso adversário sem demora, enquanto estamos com ele no Caminho, para que ele não nos entregue ao juiz e este ao oficial de justiça e sejamos recolhidos à prisão. Que caminho é esse e que adversário é esse, aos quais Jesus se refere aqui? O Caminho aqui é ele próprio, lembremos que ele fala aos futuros crentes da Nova Aliança, os que estarão andando nele. Quanto ao adversário? Trata-se do nosso pior inimigo: A nossa velha carne pecaminosa que insiste em violar o querer de Deus. O Senhor Jesus em outro momento diz: “Se o teu olho te faz pecar, arranca-o de ti melhor entrares no Reino sem um olho que tendo os dois seres lançado no inferno”, ele diz o mesmo acerca dos pés e das mãos! Santificação progressiva é ato continuo enquanto estamos andando no Caminho até chegarmos à presença do Supremo Juiz! Nossa vereda precisa ir se tornando cada vez mais luminosa até ser dia perfeito! Que o Senhor nos conceda graça e discernimento para entender essas coisas! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/FAÇAMOS TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS!

FAÇAMOS TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS!

Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas. Não seja sábio aos seus próprios olhos; tema ao Senhor e evite o mal. Isso lhe dará saúde ao corpo e vigor aos ossos”. Provérbios 3.5-8.
                                                                                           


O orgulho e a vaidade pessoal têm disfarces inimagináveis. Eles se camuflam das mais diferentes maneiras e possuem argumentos para justificar esses disfarces. Tudo que somos, temos ou sabemos vem de Deus. Somos apenas canais dessa Fonte bendita. Assim, a honra, a glória e o louvor devem ser creditados ao Senhor somente. A graça comum também é um meio das dádivas serem entregues aos que não conhecem ao Senhor. Todas as áreas do conhecimento humano são depositórios dessa graça bendita. As grandes descobertas feitas em todas as áreas: saúde, humanas, exatas, tudo vem dele que é a bendita Fonte de toda Sabedoria e Conhecimento. “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, desce do Pai das Luzes”! Diz Tiago em sua epístola.

O livro sapiencial de provérbios sinaliza para nós acerca desse assunto em todos os seus capítulos. Os versículos citados, por exemplo, trazem esse ensino de maneira muito clara, inclusive trazendo uma incisiva admoestação  para que honremos ao Senhor. A primeira coisa dita aqui é que devemos confiar no Senhor de todo o nosso coração e não nos apoiar em nosso próprio entendimento.

Na seqüência o autor do texto diz que devemos reconhecer o Senhor em todos os nossos caminhos e ele endireitará as nossas veredas. Quantos se vangloriam de sua inteligência e capacidade de criação nas várias áreas dos saberes. Isso acontece até mesmo em nosso meio, o que é ainda mais grave. Nada teríamos se do alto não nos fosse concedido. Pela falta desse reconhecimento tantos acabam sofrendo as conseqüências.

A segunda recomendação tão grave quanto a anterior é para não nos considerar sábios aos nossos próprios olhos. O orgulho e a vaidade pessoal derrubaram um Querubim Ungido, o que não fará conosco? Quanto estrelismo em nosso meio! Quanta falta de reconhecimento daquilo que o Senhor tem concedido apesar de nós! Ele completa ordenando que temamos ao Senhor e evitemos o mal, claro que ele fala aqui especialmente do mal procedente da atitude de vanglória pessoal. Isso trará saúde ao corpo e vigor aos ossos. É tempo de consertos, de mudanças de postura. Como tão bem afirmou Pierre Teilhard de Chardin, padre jesuíta, teólogo, filósofo francês dentre outras habilitações: “Somos seres espirituais vivendo uma experiência terrena”, não o contrário! Assim, não queiramos passar na frente do Senhor e receber os louros das nossas conquistas, antes ofertemos tudo a ele, pois tudo vem dele e é para glorificá-lo eternamente! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/O ESCONDERIJO QUE NÃO DECEPCIONA!

O ESCONDERIJO QUE NÃO DECEPCIONA!

Aquele que habita no abrigo do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-Poderoso pode dizer ao Senhor: Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio”. Salmos 91.1,2.
                                                                                             


Creio que depois do salmo 23 este é o mais citado e conhecido. Tratam-no como se fosse um amuleto ou palavras mágicas para apaziguar a fúria do adversário. E até aqueles que não têm nenhuma familiaridade com a palavra fazem uso dele. Contudo, toda a palavra de Deus tem endereço é para aqueles que o têm como Senhor e Salvador. As palavras do salmo não fariam sentido se aplicadas àqueles que rejeitam ao Senhor. Logo nos versículos citados que dão inicio ao poema o salmista declara: “Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio”. Só os que descansam à sombra do Onipotente podem fazer tal afirmação!

E como estamos necessitados nesses tempos de desamparo de voltar à Fortaleza como prisioneiros da Esperança como diz o profeta Zacarias! Temos nos apegado a tantos abrigos humanos e dado a eles, o crédito da nossa confiança! E aqui e acolá somos surpreendidos pela retirada da cobertura. Temos o nosso tapete literalmente puxado, o nosso chão some, e ficamos ao relento, desamparados! Por que isso acontece? Porque a nossa confiança não estava em Deus! Ele não desampara nunca! Os tais “abrigos” humanos são só recursos, instrumentos dele, nada mais que isto. Se um sai de cena, logo ele providencia outro. O medo vai tentar nos assombrar, mas o Senhor já nos disse para não temer! Esforcemo-nos, então!

Confiamos demais no braço carnal. Na seqüência o salmista afirma aos que se refugiam em Deus: “Ele o livrará do laço do caçador e do veneno mortal. Ele o cobrirá com as suas penas, e sob as suas asas você encontrará refúgio; a fidelidade dele será o seu escudo protetor. Você não temerá o pavor da noite, nem a flecha que voa de dia, nem a peste que se move sorrateira nas trevas, nem a praga que devasta ao meio-dia. Mil poderão cair ao seu lado, dez mil à sua direita, mas nada o atingirá”. Somos acolhidos e livrados. Ele não desampara nunca, repito! E ainda que morramos há esperança. O salmista diz em outro momento: “Alguns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós confiamos no nome do Senhor nosso Deus”. E quanto a nós em quem estamos alicerçados? Em quem temos posto a nossa confiança e esperança?

O Senhor nos promete segurança e autoridade sobre todo o poder do mal. E Ele encerra o salmo com uma promessa gloriosa: “Porque ele me ama, eu o resgatarei; eu o protegerei, pois conhece o meu nome. Ele clamará a mim, e eu lhe darei resposta, e na adversidade estarei com ele; vou livrá-lo e cobri-lo de honra. Vida longa eu lhe darei, e lhe mostrarei a minha salvação”! O que pode haver mais alentador que as santas promessas de Deus? Tem faltado confiança no Senhor e na força do seu poder. Tempo de voltar ao Esconderijo e lá permanecer até que passem as calamidades! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/PERDOA (DORES)!

PERDOA (DORES)! 

Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém’. Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas". Mateus 6.12-15.
                                                                                              


Nesses dias assisti um documentário comovente de uma sobrevivente do campo de Concentração de Auschwitz. https://www.youtube.com/watch?v=rpFQkt9qqpM&t=18s Essa mulher chamada Eva, uma nonagenária de muita fibra conta seu relato como cobaia do chamado “anjo da morte” Joseph Mengele. Esse médico nazista fazia experiências terrivelmente desumanas com gêmeos judeus e ela e sua irmã Miriam foram vítimas dele. Anos mais tarde foram libertadas pelo exército soviético, mas as sequelas ficaram e essa irmã acabou morrendo em conseqüência daquelas experiências.

Depois da libertação daquele cativeiro, os anos seguintes não foram fáceis para Eva e num dado momento da sua história ela resolveu romper as cadeias que ainda restavam perdoando seus algozes. Como assim? Há perdão para tão grande atrocidade? Claro que sim, à luz da ação sobrenatural do Espírito Santo, sempre há! E no final do seu emocionante relato ela diz: Que o perdão gera auto-cura, auto-libertação e auto-empoderamento! E aqui descobrimos mais uma vez que o perdão é um ato da vontade, não simplesmente algo emocional. E quando damos o passo de fé neste sentido algo começa a se mover em nosso favor no sentido de transformar aquele passo de fé em algo real e transformador!

Os versículos citados no inicio fazem parte da conhecida oração do Pai Nosso ensinada por Jesus aos seus discípulos. Esta é considerada a oração mais completa por abranger todas as áreas da vida humana com suas necessidades peculiares. O trecho citado fala do perdão. Jesus deseja que sejamos libertos e a falta de perdão é uma das maiores prisões que podemos sofrer. Mesmo que sejamos libertados das piores masmorras externas, se não perdoarmos os nossos ofensores estaremos irremediavelmente aprisionados pelas cadeias da mágoa e do ressentimento. Quando perdoamos os nossos ofensores o fazemos mais por nós mesmos que por eles. E logo no inicio do texto citado Jesus diz: “Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores”.

Deveríamos ter medo de proferir as palavras dessa oração. Será que realmente podemos desejar que o Senhor nos perdoe como perdoamos? Jesus arremata, fecha a questão dizendo: “E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém’. De que tipo de tentação ele fala aqui? Da tentação de não perdoar que aprisiona e adoece! Jesus ainda diz: “Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas". Misericórdia Senhor! Dá-nos corações perdoadores para a glória do teu santo nome! Perdoar (dores), em Cristo podemos sim! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

domingo, 3 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/UMA PROMESSA CONSOLADORA AOS ESCOLHIDOS!

UMA PROMESSA CONSOLADORA AOS ESCOLHIDOS!

“Cante, ó cidade de Sião; exulte, ó Israel! Alegre-se, regozije-se de todo o coração, ó cidade de Jerusalém! O Senhor anulou a sentença contra você, ele fez retroceder os seus inimigos. O Senhor, o Rei de Israel, está em seu meio; nunca mais você temerá perigo algum. Naquele dia se dirá a Jerusalém: "Não tema, ó Sião; não deixe suas mãos enfraquecerem. O Senhor, o seu Deus, está em seu meio, poderoso para salvar. Ele se regozijará em você, com o seu amor a renovará, ele se regozijará em você com brados de alegria". Sofonias 3.14-17.

                                                                                             


Depois de um tempo de assolação e jugo opressor a cidade do Grande Rei seria restaurada. Embora esta profecia tenha se cumprido nos dias passados, ela aponta também para dias vindouros. Por ocasião da Vinda do Senhor, a ordem de todas as coisas será restaurada. Assim, tudo aponta e converge para o Cristo. O profeta Sofonias aqui em sua breve profecia desmascara o ponto de vista vigente que dizia ser a obra de Deus secundária e que só deveria ser feita quando as coisas estivessem em ordem especialmente as questões econômicas. As dificuldades econômicas e o jugo opressor são exatamente por conta da rebelião do povo. Foi assim no passado e é assim hoje.

O nosso país está passando por uma crise sem precedentes em resposta à própria rebelião. O povo tem se levantado para agir frontalmente contrário aos ensinamentos do Cristo e tem atraído sobre si um tempo de angústia sem precedentes. Contudo, em todo o tempo sempre há um remanescente fiel que ao Senhor clama de dia e de noite, incansavelmente. Nos dias passados, o Senhor faz a promessa gloriosa e consoladora dos versículos citados. Como fora dito essa promessa só se cumprirá cabalmente por ocasião da Segunda Vinda, mas o nosso coração já pode se alegrar, pois promessa de Deus se cumpre.

O Senhor fala ao seu Israel tanto o físico quanto o espiritual. Ele mande seu povo se alegrar porque a sentença contra ele foi anulada e o Senhor fez retroceder seus inimigos. O próprio Senhor se colocará em meio aos seus e não haverá mais temor, nem choro, nem pranto, nem tristeza alguma! Aleluia! Quando veremos esse cenário glorioso? Quando o Senhor vier resgatar os seus escolhidos para sempre. Por outro lado, de modo virtual já podemos contemplar essa glória do Eterno em nosso meio. Já fomos resgatados do reino das trevas e transportados para o Reino do Filho do amor de Deus, Jesus Cristo. Somos dele, ovelhas suas, rebanho do seu pastoreio. Temos um dono e não estamos navegando à deriva. Nosso barco tem um Timoneiro Glorioso que não perde o controle de absolutamente nada!

Espiritualmente estamos livres, incólumes de toda ação maligna do adversário. Ele já não tem o poder de nos tocar de fato. Embora saibamos que ele pode se opor a nós e à obra de Deus, ainda criar obstáculos para nos atingir fisicamente, mas espiritualmente estamos livres. Já não haverá mais jugo opressor, pois fazemos parte de uma nova criação. Ele olha para o nosso espírito recriado e vê o sangue de Jesus sobre nós! O sangue sobre nós é a marca, a chancela da promessa e o selo de posse! Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/

sábado, 2 de dezembro de 2017

Meditação/Nadia Malta/PASSA-NOS A VISÃO SENHOR!

PASSA-NOS A VISÃO SENHOR!

Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei. Faze-me discernir o propósito dos teus preceitos, então meditarei nas tuas maravilhas”. Salmos 119.18, 27.

                                                                                              


Como compreender o título desta breve meditação? O Livro Santo, a Bíblia Sagrada não contém a Palavra de Deus é a Palavra revelada de Deus. Toda instrução, todo ensino e exortação estão ali, contudo, os nossos olhos precisam receber a luz de entendimento espiritual para compreender tudo que o Senhor deseja que aprendamos! E aqui não se trata de apenas decorar versículos para impressionar, mas ler e assimilar para poder por em prática. O importante não é o quanto da letra conhecemos, mas quanto foi revelado a nós e produziu genuína transformação.

Ninguém conhece mais a letra que o adversário, ao ponto de ousar tentar Jesus com a palavra, mas ainda assim, ele continua sendo diabo. Conheço muitas pessoas que possuem excelente memória e capacidade de decorar versículos. Essas são metralhadoras ambulantes desferindo textos bíblicos para todos os lados, mas elas mesmas não são capazes de praticá-los. Fariseus pós-modernos, cheios de regras, mas áridos da verdadeira vida. Através do Evangelho segundo Lucas, Jesus fala dos que ouvem sem praticar: “Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as pratica, é como um homem que construiu uma casa sobre o chão, sem alicerces. No momento em que a torrente deu contra aquela casa, ela caiu, e a sua destruição foi completa". Há muitos que estão enquadrados aqui!

Ao passo que sobre os operosos praticantes da palavra, Jesus diz: “Eu lhes mostrarei a que se compara aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras e as pratica. É como um homem que, ao construir uma casa, cavou fundo e colocou os alicerces na rocha. Quando veio a inundação, a torrente deu contra aquela casa, mas não a conseguiu abalar, porque estava bem construída”. Assim, a palavra revelada de Deus precisa entrar no coração do homem e gerar vida e mudança profunda. De que adianta chamar Jesus de Senhor sem fazer o que ele ordena?

Claro que nenhum de nós está completamente pronto, do contrário, nem estaríamos mais aqui, mas é preciso diligencia, esforço para matar a carne de fome no tocante aos seus apetites. É preciso deixar que a Palavra em nós implantada produza frutos dignos de arrependimento. A Palavra no coração do homem restaura relacionamentos pessoais, profissionais e familiares. Produz uma nova vida. Por isso o salmista apela para o Senhor. Ele pede que seus olhos sejam abertos para que ele contemple as maravilhas da sua lei. Ele pede ainda discernimento para que possa meditar nas maravilhas da lei do Senhor. Sem o Senhor nos passar a visão não enxergaremos nada mesmo estando bem debaixo dos nossos olhos! Que tal fazermos a mesma oração do salmista? Nadia Malta. http://ocolodopai.blogspot.com.br/


Você poderá gostar também de...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...